Uma reflexão confusa sobre inspiração (ou a falta dela).

Ontem a noite li um texto de uma blogueira que amo que falava sobre sua falta de inspiração para a ~interwebs~.
Hoje de manhã acessei um outro blog querido (inclusive um dos responsáveis pela existência deste que vos fala), e tinha lá um texto sobre desapego e, de novo, falta de inspiração, mas dessas vez, sobre o dia-a-dia.
Tem um tempo que quero falar sobre isso aqui no blog, achei que esse era um bom momento.

Fazem meses que não consigo ler nada. Nada mesmo. Peguei um livro aqui, outro ali e nada. Pedi emprestado um que estava com vontade de ler desde o lançamento… NADA. Peguei o jornalzinho do farol de manhã e mais uma vez? Nada.
A mesma coisa tem acontecido com as minhas músicas. Mesmo com o Spotify milagreiro na minha vida, tudo o que meus dedos no player decidem é: ‘essa não‘, ‘essa também não‘, ‘essa de novo? Não‘.
O terceiro sinal dessa nova fase foi o pior possível: a vontade de blogar. Sim, ela, como as anteriores, foi desaparecendo e sumindo de vista devagar, mas notavelmente ao longo das últimas semanas.

Não consigo explicar o porque, mas me falta animo para encarar essas e algumas outras atividades simples que eram prazerosas e tão significativas no meu dia a dia.

Li um texto, a um tempo atrás do Capitolina (que não achei pra linkar aqui );), falando sobre como nossos personagens favoritos da vida estão sempre vivendo ~grandes aventuras~ e não estão o tempo todo compartilhando suas vidas nas redes sociais. Também vi um filme a pouco tempo (logo aparece resenha por aqui), sobre um cara que descobre que a felicidade só é real quando é compartilhada.

Tudo isso me parece, cada vez mais, entrelaçado.
É maluquice minha achar que uma coisa leva a outra?
Que as inspirações somem, na mesma proporção em que somos bombardeados de informações e novidades novidades novidades o tempo todo, mas todas elas fora da ‘vida real‘?
E que quanto mais deixamos de fazer coisas na ‘vida real‘, menos conteúdo temos pra nos inspirar no nosso dia a dia e, consequentemente, na ‘vida online‘?
Será que a falta de inspiração é graças ao famoso ‘mais do mesmo‘, ao prazer em dividir que diminui com o passar do tempo ou só uma grande desculpa para a procrastinação assistida?!

Vocês se sentem assim de vez em quando?!
Me conta aqui embaixo como encara esses dilemas!

Beijos♥

Anúncios

9 comentários sobre “Uma reflexão confusa sobre inspiração (ou a falta dela).

  1. Reflexão interessante, Vera.
    Acho que os excessos me prejudicam. Quando estou vivendo um “mundo real” muito intenso, acabo ficando pouco criativa e sem inspiração. Além de escrever para o Yellow, eu escrevo quase que diariamente em algum dos meus diários. Eu gosto de desenhar, criar outros projetos de arte… E eu preciso ter tempo livre do “mundo real” para encontrar inspiração e disposição para tudo isso. Porém, se eu passar muito tempo só nessas atividades, o “mundo real” começa a fazer falta. Porque chega um momento em que a imaginação não me leva à nada produtivo ou, pelo menos, a nada que eu queria produzir para compartilhar e ai a inspiração não vem.
    Não acho que a gente precise viver grandes aventuras. Ia ser legal, mas se a vida fosse só assim, seria exaustivo! rs. Aliás, acho que a gente subestima demais a aventura existente no simples fato de viver sabendo que existe um universo tão grande cheio de possibilidades à nossa volta :)

    Haha, filosofei! Espero que te faça algum sentido. Se não, que sirva de inspiração para você dizer o quanto isso não fez sentido :p

    Beijos

    Curtir

Conta pra mim o que você achou?!♥

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s