Oscar 2015 e Seus Agradecimentos por Igualdade.

Ontem, aconteceu o que é considerada a maior premiação do cinema mundial, a entrega do Oscar e pela primeira vez em muito tempo, não assistia a uma noite de gala tão democrática e igualitária.
PicMonkey Collage

A magia começou com o apresentador: Neil Patrick Harris é astro de TV (fez ‘How I Met Your Mother’, participou de ‘American Horror Story’ e tem mais de 20 longas em seu currículo), produtor, diretor, mágico, aclamado pela crítica e gay. O ator, homossexual declarado desde 2006, é casado e constituiu uma das famílias mais LINDAS EVER! (insira aqui emoticon com olhinhos de coração!)
O que me surpreendeu com a participação de Neil na apresentação do Oscar ontem, foi além de sua atuação. A mídia, pela primeira vez em anos, se referiu a Neil e seu marido exatamente dessa forma: como parceiros e marido um do outro.

Seguindo em frente, J.K Simmons, de 60 anos, levou o prêmio de Melhor Ator Coadjuvante por sua interpretação em ‘Whiplash’, seu discurso foi emocionante e falou sobre pais e filhos.
Em seguida, levando o prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante, Patricia Arquette, por ‘Boyhood’, mas foi quando ela agradeceu pelo prêmio que vieram os primeiros arrepios de emoção da noite.
Patricia, que já é corajosa por se deixar filmar durante 12 anos seguidos e envelhecer durante as câmeras, decidiu fazer um discurso diferente, decidiu falar sobre feminismo. A vencedora pediu igualdade de salários e de direitos entre homens e mulheres.

Para todas as mulheres que deram à luz, todos os pagadores de impostos e cidadãos dessa nação: nós lutamos pelos direitos iguais para todos. Já é hora de termos igualdade de salários de uma vez por todas. E direitos iguais para as mulheres dos Estados Unidos da América.

Que ela é incrível, a gente já sabia, é só relembrar outro discurso que fez, dessa vez no Globo de Ouro. Aliás, esse post aqui levanta os 7 momentos mais feministas do Globo de Ouro e só deixa a gente com orgulho de ter mulheres tão maravilhosas por aí.
Mas não parou por aí. Meryl Streep, a rainha da p* toda, que concorria diretamente com Patricia, não ~GUENTOU a emossaum~ e VIBROU real com o discurso dela. Gritou, abanou as mãos e virou meme tamanha empolgação.
A gente já amava Meryl, agora então…

Muitos prêmios técnicos e estrangeiros depois, mais um momento incrível: John Legend e Common cantam a  trilha sonora de ‘Selma’, longa que conta sobre a relação de Martim Luther King com a cidade.
Comovente, a apresentação junto ao agradecimento dos intérpretes ao vencerem a estatueta de Trilha Sonora com ‘Glory’, levantaram a ainda existência do racismo e direitos iguais para todos.

A academia ainda homenageou a rainha dos musicais, Julie Andrews (sdds Noviça), com Gaga sem a ~parafernalha~ toda que é de costume, e em seguida, tratou de entregar duas estatuetas esperadíssimas: Melhor Atriz e Melhor Ator.
Eddie Redmayne, que brilhou como o físico Stephen Hawking em ‘A Teoria de Tudo’, fez um discurso emocionante dedicando seu prêmio aos portadores da ELA (Esclerose Lateral Amiotrófica), doença degenerativa que atingiu ao físico contada no longa.
A vencedora Julianne Moore, também retratou a vitima de uma doença degenerativa, o Alzheimer, em ‘Para Sempre Alice’.

Mesmo após tantos momentos de tirar o folego, para mim, a maior emoção da noite veio com a vitória de Roteiro Adaptado entregue para Graham Moore, por ‘O Jogo da Imitação’.
Em seu discurso, o jovem ressaltou a diversidade e agradeceu a oportunidade de ser ouvido.

Então, é o seguinte. Alan Turing nunca pôde subir num palco como esse e olhar para todos esses rostos desconcertantemente lindos, e eu posso. E essa é a coisa mais injusta que eu já ouvi. Quando eu tinha 16 anos, eu tentei me matar porque eu me sentia esquisito e me sentia diferente e sentia que não pertencia a lugar nenhum. E agora que eu estou aqui eu gostaria de dedicar esse momento aos jovens por aí que sentem que são estranhos ou diferentes ou que não se encaixam – sim, vocês se encaixam. Eu prometo. Permaneçam estranhos, permaneçam diferentes, e quando chegar a sua vez, e vocês estiverem sobre esse palco, transmitam essa mensagem para as pessoas que virão depois de vocês.

Graham ainda deu uma entrevista no pós Oscar, levantando o fato de Alan Turing ter sido um homem machucado pela história que merecia seu lugar ao sol.

Esse ~resumão~é só pra lembrar o quanto é importante termos vozes ativas dentro de cenários tão importantes e que temos que continuar lutando por igualdade, não importa como, nem onde.

Anúncios

5 comentários sobre “Oscar 2015 e Seus Agradecimentos por Igualdade.

Conta pra mim o que você achou?!♥

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s