Resenha: ‘O Doador de Memórias’

Decidi fazer um ‘filmes assistidos’ especial, porque fui assistir ao longa ‘O Doador de Memórias’ no cinema na sexta-feira e quero explorar bem as minhas impressões sobre o filme.

film-the-giver

Já vou começar confessando que não era minha primeira opção no cinema. Tinha ‘Se Eu Ficar…’ e ‘Maze Runner – Correr ou Morrer’ na frente, mas os horários estavam complicados, e sexta feira é um CHAOS aqui em SP, então, acabamos indo assistir ele mesmo.
As coisas já começaram curiosas, porque tinha lido uma sinopse bem ‘sequinha’ do filme, então não tinha muita ideia do que esperar. A única coisa que tinha gravado como algo relevante sobre o longa era de que contava com uma participação da Taylor Swift.

Cuidado! Este texto deve conter spoilers!
Quando o filme começou, confesso que achei que fosse ver mais uma mistura de ‘Divergente’ + ‘Jogos Vorazes’, com possíveis pitadas de ‘Instrumentos Mortais: Cidades dos Ossos’, mas NÃO! Que agradável surpresa foi ‘O Doador de Memórias’.
Apesar de sim, ser um filme ‘pós-apocalíptico’, o longa não lembra em nada estas franquias citadas. Primeiro por não contar com um jovem ator (nem atriz) para o papel do próprio doador, e sim com o vencedor do Oscar, Jeff Bridges. Junto com o novato (de ‘O Espelho’ e ‘Malévola’) Brenton Thwaites (Jonas), Jeff conseguiu entoar o filme ao seu passo.

Vivendo num mundo sem qualquer sentimento (nem bons, nem ruins), Jonas é escolhido para ser o ‘armazenador de memórias’, isto é, guardar memórias antigas, para aconselhamentos a grandes decisões quando necessário, função exercida pelo personagem de Brigdes. Por isso, o mesmo passa a mostrar as memórias a Jonas para que ele possa tomar seu lugar.

Fotografia
O filme já começa surpreendendo em preto e branco, até o momento em que Jonas começa a ganhar ‘visão’, entender sentimentos e de fato senti-los.
A fotografia do filme é incrível! Os momentos de visão de Jonas são simplesmente emocionantes, desses que dão vontade de chorar de emoção mesmo, nem tristeza, nem alegria, só pura emoção.
Além disso, tudo é bem padronizado, as mudanças acontecem sutilmente e as transições de etapas são quase imperceptíveis. Quando você vê, já está tudo colorido e diferente no mundo dele.

Elenco
O que dizer? Jeff Bridges está absolutamente incrível. Ao seu lado, Twaithes também não faz feio, mas minha grande surpresa ficou por conta de Odeya Rush . Além deles, Meryl Streep (essa mesma, que dispensa comentários) e Katie Holmes são elenco fixo durante todo o longa e estão muito bem em seus papéis.

the-giver-movie-actors

Considerações Finais
O longa é lindo. Fotograficamente perfeito e com uma interação incrível entre os atores. Não encontrei nenhum aspecto ruim, apenas senti falta de um elemento mais presente, de uma força extra como é o caso da bravura de Katniss na franquia ‘Hunger Games’ (Jogos Vorazes) ou da inocência quase lívida de Percy Jackson na franquia que leva seu nome.

Já assistiram ao longa? O que acharam? Me conta!

Beijos♥

Anúncios

2 comentários sobre “Resenha: ‘O Doador de Memórias’

Conta pra mim o que você achou?!♥

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s