11+1 saudades da minha infância!♥

Eu, boa criança que fui nos anos 90/00, surtei quando vi um post que falava sobre a volta do chocolate da Mônica.
Então, decidi vir listar mais 11+1 saudades da minha infância, coisinhas que só quem viveu na mesma época que eu, pode entender.

Família Dinossauro
Eu amava tanto que ganhei um Baby de pelúcia e não largava por nada. Além disso, alguns assuntos polêmicos e tão contemporâneos já eram abordados como feminismo e consumo exagerado.
pais_personagens_f_027

Mocinha
Era leite moça no pacotinho. L-E-I-T-E M-O-Ç-A. Sério.

Pokémon
Antes da febre do jogo pra smartphone, Pokémon já era um hit com suas pokebolas nas garrafas de caçulinha e o desenho diário na TV.

Tazos
As crianças da minha geração que nunca brincaram, estão mentindo.
Era uma compulsão por cada saco de salgadinho comprado, só pra tirar um novo ou um brilhante.

Caverna do Dragão
Inspirado em D&D, o jogo homônimo de RPG, as aventuras de seis adolescentes que tentam sair do Reino de Dungeons & Dragons após se perder numa montanha-russa, fazia qualquer criança vibrar a cada cena.

Blossom
Se teve uma série que eu amei, essa foi ‘Blossom’.
A história de uma garota que mora com seu pai e seus dois irmãos era sensacional e trilha de almoço pelo SBT.
Saudades sempre! (E eu descobrindo depois que Amy é Blossom?)

Fofy
Amava o biscoitinho sim! Volta, Fofy!♥

Os filmes das irmãs Olsen
Amava desde ‘As Namoradas do Papai’ até ‘No Pique de New York’, passando por ‘Passaporte para Paris’, até meu favorito ‘Férias ao Sol’.
passaporte-paris

A Chave Mágica
O longa de 95 foi meu filme de ‘sessão da tarde’ favorito por ANOS.
Amava o fato dos bonecos ganharem vida!
(Menção Honrosa para ‘Pequenos Guerreiros’ e ‘Atraídas Pelo Perigo’)

Tamagoshi
Quem não amava o famigerado ‘bichinho virtual’? ♥

BÔNUS ROUND
Sabrina, Aprendiz de Feiticeira
Eu era tão fã da série, que procurei pra assistir todos os ep’s depois de velha RISOS.
Pena que a internet não tem mesmo essa obra prima!
Saudades, Sabrina!

Vocês tem saudade de algum programa/comidinha da época da infância de vocês?!
Deu saudade de alguma coisa?!
Me conta nos comentários!

beijos ♥

Cinema: Os filmes de terror do 2º semestre de 2017!♥

Motivadíssima pelo novo trailer de ‘Saw 8’, viciada pela franquia que sou e apaixonada por filmes de terror (dos trashes aos excelentes), decidi listar nesse post os filmes de terror que chegam, nesse 2º semestre de 2017, nos cinema.

7 Desejos
Sinopse: ‘A adolescente Claire (Joey King) descobre uma caixa mágica, que lhe concede sete desejos. Claire acaba fazendo apenas desejos pessoais e coisas ruins começam a acontecer. Com isso ela descobre que dentro da caixa vive uma entidade malvada, que pode estar causando esses acontecimentos terríveis’
Por que tão animada?
O trailer já mostra que o filme traz todos os elementos que amamos em longas de terror: adolescentes, um objeto misterioso e uma corrida contra o tempo.

A Morte Te Dá Parabéns
Sinopse: ‘Uma mulher é assassinada e fica presa em um ciclo vicioso entre vida e morte. Ela deve resolver o mistério de seu próprio assassinato, ressuscitando várias vezes até descobrir quem foi o responsável pelo crime. Só quando ela compreender o que causo sua morte, pode conseguir escapar de seu destino trágico.’
Por que tão animada?
A ideia de viver o mesmo pesadelo várias vezes é um prato cheio pra quem ama os longas de terror com toque antiquado, afinal, quem não lembra de Freddy Krueger?

Anabelle 2 – A Criação Do Mal
Sinopse: ‘Anos após a trágica morte de sua filha, um habilidoso artesão de bonecas e sua esposa decidem, por caridade, acolher em sua casa uma freira e dezenas de meninas desalojadas de um orfanato. Atormentado pelas lembranças traumáticas, o casal ainda precisa lidar com um amendrontador demônio do passado: Annabelle, criação do artesão.’
Por que tão animada?
Os fãs de terror vão poder se animar pela volta da referência, mas, pra quem não gostou do primeiro longa da franquia, fica a surpresa de um novo diretor e uma nova ‘origem’ a boneca real combatida pelos Warren.

It, A Coisa
Sinopse: ‘Um grupo de sete adolescentes de Derry, uma cidade no Maine, formam o auto-intitulado “Losers Club” – o clube dos perdedores. A pacata rotina da cidade é abalada quando crianças começam a desaparecer e tudo o que pode ser encontrado delas são partes de seus corpos. Logo, os integrantes do “Losers Club” acabam ficando face a face com o responsável pelos crimes: o palhaço Pennywise.’
Por que tão animada?
O remake é, provavelmente, o filme da lista que mais me animou.
Eu sou apaixonada por Stephen King, o que já acrescenta pontos a história, além de ter ficado encantada com o visual do longa através do trailer e animada pelo excelente elenco.
Vem filmaço por aí!
c68pjer

*/

Vocês animaram com algum dos longas da lista?
Me conta tudo nos comentários!

beijos ♥

Aleatoriedades! #21

Warning: Esse é um post completamente aleatório cheio de pensamentos malucos em uma sequência nada ordenada. Porque sim.
(Se vocês curtem esse tipo de post, não esquece me falar aqui embaixo, nos comentários).

Tá tudo mudando por aqui e eu, como boa taurina que sou, me sinto enjoada só de pensar no tanto de consequência que vai começar a surgir depois disso.
Sério.
Fico neurótica com as coisas fora da rotina, com as bagunças saindo de dentro das gavetas e não me deixando me concentrar em nada a não ser em arruma-las, mas curiosamente, quando decido pegar em uma, as outras gritam e fico confusa.
Enfim, sou uma grande bagunça.
Por isso, já pedi, mas reitero a clemência de calma e paciência comigo e com o blog: NÃO DESISTE DA GENTE! ♥

 

4+1 leituras simples para se APAIXONAR por livros! ♥

Já contei algumas vezes aqui no blog que o LEV me ajudou muito a pegar mais firme nas minhas leituras diárias.
Também já contei que sou bem apaixonada pelo mudo dos livros já tem um tempo, o que sempre me incentivou internamente a escrever e a expandir meus horizontes.
Logo, decidi listar as 4+1 leituras simples para se APAIXONAR por livros, ou se você preferir, os 5 livros que fizeram EU me apaixonar pelo mundo literário!

PicMonkey Collage

O Fantástico Mistério de Feiurinha – Pedro Bandeira
Editora: Moderna
Acho eu que poucas pessoas não conhecem o clássico da literatura nacional, mas é sempre bom frisar que foi, boa parte, graças a Pedro Bandeira e seus livros incríveis que comecei a cultivar esse amor pela leitura, especialmente graças a irreverencia e boa qualidade de ‘O Fantástico Mistério de Feiurinha’, meu livro favorito do autor até hoje!

O Fantasma da Meia-Noite – Sidney Sheldon
Editora: Record
Minha mãe sempre foi fã de Sidney Sheldon, então, assim que entrei naquela fase em que ‘se lê até placa de trânsito’, peguei ‘O Fantasma da Meia-Noite’ e devorei.
Mesmo com medinho infantil, o livro me abriu para leituras mais longas e ‘sérias’, com linguagens mais difíceis.

Feliz Ano Velho – Marcelo Rubens Paiva
Editora: Objetiva
Ainda nova, também herdei ‘Feliz Ano Velho’ da minha mãe e fiquei hipnotizada pela história, pela escrita, pela forma como Marcelo desenvolve a trama verídica!
Foi o primeiro livro que me fez ter vontade de escrever ♥

Harry Potter – JK Rowling
Editora: Rocco
Nem preciso entrar nesse mérito, né?
Todos os livros de Harry me construíram não apenas como leitora, mas como ser humano.

O Diário da Princesa – Meg Cabot
Editora: Galera Record
Mais um livro que não preciso entrar nos pormenores.
Apesar de hoje encontrar algumas passagens too girly for me, o livro me fez amar o estilo romanceado de aventuras.

*

Você também tem leituras que construiu seu perfil literário?
Que te incentivaram a ler?
Me conta nos comentários!

Vamos conversar!

beijos ♥

Filmes Assistidos! #36

É nesse post (QUASE) mensal que eu reúno tudo o que assisti nos cinemas, zapeando o Netflix ou a TV atrás de filmes legais.
(Vale dizer que pro segundo semestre, estou com planos de um desafio de cinema (pra tentar me ”obrigar” a ir as telonas pelo menos uma vez ao mês). Vamos acompanhando a saga RISOS).

Legenda de Classificação
☆☆ – Bom, mas não assistiria de novo;
☆☆☆ – Bom;
☆☆☆☆ – Muito bom;
☆☆☆☆☆ – Já quero na coleção! ♥
(Todas as sinopses são pelo ‘Adoro Cinema’).

O Espaço Entre Nós (2017)

Sinopse: ‘O adolescente Gardner Elliot (Asa Butterfield) é o primeiro humano nascido em solo marciano. Mas ele deseja fazer uma viagem à Terra para conhecer a verdade sobre seu pai biológico, e sobre seu nascimento. Nesta jornada, ele tem o apoio de Tulsa (Britt Robertson).’
Estrelinhas: ☆
O filme e o enredo: Achei que a trama romântica seria bem diferente, com uma história promissora, acaba que nada se desenvolve como deveria.
As ‘aventuras’ de Gardner acabam por toscas, seu romance com Tulsa fica superficial, rápido e corrido e o final do longa deixa a desejar.
Mesmo mantendo uma fotografia IMPECÁVEL, o longa não conquista.
O elenco: Demorei a perceber que Asa Butterfield (‘A Invenção de Hugo Cabret’) e Tom Holland (‘No Coração do Mar’) não são a mesma pessoa RISOS, e parou por aí.
Além dele, rostos conhecidos como Britt Robertson (‘Girlboss‘) e Gary Oldman (lembram dele como Sirius Black em ‘Harry Potter’?) dão as caras na história, mas ambos, sem grandes papéis.
Considerações finais: O longa é fraco. Não envolve, não desenvolve bem e deixa muito a desejar com um final que não conclui em nada.
‘O Espaço Entre Nós’ está disponível na Netflix!

O Melhor Lance (2013)

Sinopse: ‘No mundo dos leilões de arte e antiguidades de alta qualidade, Virgil Oldman (Geoffrey Rush) é um conhecido e apreciado especialista em arte. Ele é contratado por uma jovem herdeira, Claire Ibbetson (Sylvia Hoeks), para leiloar a grande coleção de obras de arte deixada por seus pais. Mas, por alguma razão, Claire sempre se recusa a ser vista pessoalmente. Robert (Jim Sturgess), que ajuda Virgil a restaurar e montar algumas peças mecânicas antigas que encontra na casa da moça, também lhe dá conselhos sobre como ganhar sua confiança e lidar com os sentimentos que tem em relação a ela.’
Estrelinhas: ☆☆☆☆
O filme e o enredo: Coloquei esse longa na minha lista da Netflix e deixei ele esquecido por lá até um sábado a noite em que não tinha nada em mente. QUE FILMAÇO!
Mesmo demorando um pouco pra engrenar, a história vai se desenvolvendo de forma surpreende, mantendo o realismo e descortinando uma trama maravilhosa e angustiante.
O elenco: Geoffrey Rush (‘O Amor Custa Caro’) faz jus ao seu nome e tempo de carreira como o brilhante protagonista do longa. Impecável e imperdível.
Considerações finais: O filme é incrível! Cheio de reviravoltas, com arte de plano de fundo e uma história bem amarradinha.
‘O Melhor Lance’ está disponível na Netflix!

O Mínimo Para Viver (2017)

Sinopse: ‘Uma jovem (Lily Collins) está lidando com um problema que afeta muitos jovens no mundo: a anorexia. Sem perspectivas de se livrar da doença e ter uma vida feliz e saudável, a moça passa os dias sem esperança. Porém, quando ela encontra um médico (Keanu Reeves) não convencional que a desafia a enfrentar sua condição e abraçar a vida, tudo pode mudar.’
Estrelinhas: ☆☆☆
O filme e o enredo: Com uma trama forte e uma escolha de elenco excelente, o longa, produzido pela Netflix, toca em assuntos desconfortáveis, mas importantes.
Voltado para um público mais teen, ‘O Mínimo Para Viver’ traz em sua história, distúrbios, abandono e relações interpessoais com delicadeza e uma montagem bem delicada e tocante.
O elenco: Lily Collins (‘Simplesmente Acontece’) está inacreditavelmente boa no papel da protagonista. Sua entrega é total.
Além dela, preciso citar Keanu Reeves (‘Constantine’) que está num papel sutil e cheio de nuances misteriosas, como ele sabe fazer muito bem.
Considerações finais: O longa é cheio de nuances sutis que contrastam bem com o assunto central e surpreende com sua beleza e delicadeza.
‘O Mínimo Para Viver’ está disponível na Netflix!

*

Já assistiu algum desses filmes?
Ficou com vontade de ver?
Me conta!
Vamos conversar!

Beijos

Dica de Série: ‘Dear White People’

Quando acabei (quase) tudo o que tinha na minha lista do ‘To Watch’, peguei ‘Dear White People’ (esse título faz muito mais sentido em inglês!) e maratonei até acabar com todos os episódios em alguns dias e que série incrível!

dearwhitepeople

 A primeira coisa legal de DWP é que ela é local de fala dos negros aos negros e a todas as situações que envolvem seu dia-a-dia, especialmente o racismo, por isso, é tão difícil falar sobre a série.
São tantos apontamentos através das ironias, do ritmo rápido e das situações propositalmente desconfortáveis, que a série é completa na mensagem e cumpre sua missão em nos fazer enxergar tudo de um ponto de vista único: do ponto de vista dos personagens centrais.
(Destaque especial para o recurso de cada personagem finalizando os episódios olhando para o espectador. Muito inteligente e importante!)

Preciso destacar o elenco maravilhoso, que faz sua parte em jogar luz a temas tão delicados.
Logan Browning (Sam) é completa e Brandon Bell (Troy) também, mas ficam os destaques para Antoinette Robertson (Coco) e DeRon Horton (Lionel) que chegam com sutileza, mas dominam a série de forma inigualável.

DWP tem uma trilha impecável e deveria ser vista por TODO MUNDO, especialmente por retratar um cenário de décadas de racismo (muitas vezes velado) com muita inteligência e sagacidade.
Se eu não te convenci, dá uma olhada no trailer e COMEMORA comigo a renovação para a segunda temporada!

Se você já viu a série, me conta nos comentários se ficou mexidx que nem eu!
beijos ♥

Lidos: Os livros de Julho! ♥

Aqui você fica sabendo tudo o que achei dos livros que li no mês que acabou de acabar.
Se você tem algum livro legal pra me indicar, não esquece que dá pra comentar!

PicMonkey Collage

A Viúva – Fiona Barton
Editora: Intrinseca
Sinopse:Ao longo dos anos, Jean Taylor deixou de contar muitas coisas sobre o terrível crime que o marido era suspeito de ter cometido. Ela estava muito ocupada sendo a esposa perfeita, permanecendo ao lado do homem com quem casara enquanto convivia com os olhares acusadores e as ameaças anônimas. 
No entanto, após um acidente cheio de enigmas, o marido está morto, e Jean não precisa mais representar esse papel. Não há mais motivo para ficar calada. As pessoas querem ouvir o que ela tem a dizer, querem saber como era viver com aquele homem. E ela pode contar para eles que havia alguns segredos. Afinal, segredos são a matéria que contamina (ou preserva) todo casamento.
Narrado das perspectivas de Jean Taylor, a viúva, do detetive Bob Sparkes, chefe da investigação, cuja carreira é posta em xeque pelo caso, e da repórter Kate Waters, a mais habilidosa dos jornalistas que estão atrás da verdade, o romance de Fiona Barton é um tributo aos profissionais que nunca deixam uma história, ou um caso, escapar, mesmo que ela já esteja encerrada.
O que eu achei: Comecei ‘A Viúva’ sem querer, e acabei me apegando a história que envolve e é super bem escrita, embora seja MUITO detalhada, o que deixa a narrativa um pouco lenta.
A sensação de poder acompanhar dois tempos que se encontram no final do livro, mostra o quanto a autora é boa no que faz e isso, somado ao tom pessoal de cada um dos personagens dentro da história (sério! Os detalhes íntimos da opinião e personalidade de cada um IMPRESSIONA!), deixam o livro numa das altas prateleiras de dramas interessantes e envolventes do meu ano.

Tudo o Que Nunca Contei – Celeste Ng
Editora: Intrinseca
Sinopse:Um retrato sensível dos segredos que existem em qualquer família. Na manhã de um dia de primavera de 1977, Lydia Lee não aparece para tomar café. Mais tarde, seu corpo é encontrado em um lago de uma cidade em que ela e sua família sino-americana nunca se adaptaram muito bem. Quem ou o que fez com que Lydia — uma estudante promissora de 16 anos, adorada pelos pais e que com frequência podia ser ouvida conversando alegremente ao telefone — fugisse de casa e se aventurasse em um bote tarde da noite, mesmo tendo pavor de água e sem saber nadar? À medida que a polícia tenta desvendar o caso do desaparecimento, os familiares de Lydia descobrem que mal a conheciam. E a resposta surpreendente também está muito abaixo da superfície. Conforme analisa e expõe os segredos da família Lee — os sonhos que deram lugar às decepções, as inseguranças omitidas, as traições e os arrependimentos —, Celeste Ng desenvolve um romance sobre as diversas formas com que pais, filhos e irmãos podem falhar em compreender uns aos outros e talvez até a si mesmos. Uma uma observação precisa e dolorosa do fardo que as expectativas da família representam e da necessidade de pertencimento.
O que eu achei: Um dos livros mais intensos do ano pra mim, ‘Tudo o Que Eu Nunca Contei’ é uma narrativa dramática que envolve e que tem por característica uma leitura contemporânea, mesmo se tratando de uma história de décadas atrás.
Perceber o quanto cada personagem é pensado, o quanto os dramas de cada chegam na gente de formas diferentes, trazendo outra dimensão do mundo interior de cada um é impressionante e mexeu muito comigo.
Destaque para o fato de termos uma protagonista serve de pilastra para que, através de sua história, consigamos vivenciar cada minimo sentimento de outros personagens.
Dei 5 estrelinhas no ‘GoodReads’ e mantenho a indicação aqui pra vocês!
Vale MUITO a pena ir conferir esse livro!

Tudo e Todas As Coisas – Nicola Yoon
Editora: Arqueiro
Sinopse:Uma história emocionante que sai da mesmice e explora as esperanças, os sonhos e os riscos inerentes ao amor em todas as suas formas.” – Kirkus Reviews
Tudo envolve riscos. Não fazer nada também é arriscado. A decisão é sua. “A doença que eu tenho é rara e famosa. Basicamente, sou alérgica ao mundo. Não saio de casa. Não saí uma vez sequer em 17 anos. As únicas pessoas que eu vejo são minha mãe e minha enfermeira, Carla. Então, um dia, um caminhão de mudança para na frente ¬da ¬casa ao lado. Eu olho pela janela e o vejo. Ele é alto, magro e está todo de preto: blusa, calça jeans, tênis e um gorro que cobre o cabelo. Ele percebe que eu estou olhando e me encara. Seu nome é Olly. Talvez não seja possível prever tudo, mas algumas coisas, sim. Por exemplo, vou me apaixonar por Olly. Isso é certo. E é quase certo que isso vai provocar uma catástrofe.
O que eu achei: Eu amo muito Nicola Yoon por vários motivos.
Sua maneira rápida, mas floreada de contar suas histórias, suas EXCELENTES protagonistas, a representatividade em cada um dos seus livros e todas as linhas de amor e resiliência em cada um dos capítulos, são um conjunto completo que envolve e deixa o leitor feliz e apaixonado por cada história contada.
Lógico que ‘Tudo e Todas as Coisas’ tem alguns efeitos usados para romancear a ficção, mas não se pode negar que a história é linda e leve, perfeita para uma pausa em meio a tantos livros intensos e complexos.

O Conto da Aia – Margareth Atwood
Editora: Rocco
Sinopse:Escrito em 1985, o romance distópico O conto da aia, da canadense Margaret Atwood, tornou-se um dos livros mais comentados em todo o mundo nos últimos meses, voltando a ocupar posição de destaque nas listas do mais vendidos em diversos países. Além de ter inspirado a série homônima (The Handmaid’s Tale, no original) produzida pelo canal de streaming Hulu, a ficção futurista de Atwood, ambientada num Estado teocrático e totalitário em que as mulheres são vítimas preferenciais de opressão, tornando-se propriedade do governo, e o fundamentalismo se fortalece como força política, ganhou status de oráculo dos EUA da era Trump. Em meio a todo este burburinho, O conto da aia volta às prateleiras com nova capa, assinada pelo artista Laurindo Feliciano.’
O que eu achei: Depois de ouvir muito falar sobre a adaptação desse livro para uma série, decidi ler antes de assistir.
Claro que vou fazer um post completinho assim que terminar de assistir a série, mas adianto que esse livro é maravilhoso.
Que história! Que distopia interessante e contemporânea, que leitura feminista e libertadora!
Cada personagem é tão intenso, complexo e bem construído, que surpreende. Além disso, conseguimos ver cada participação como algo essencial para a trama.
Vale MUITO a leitura!

*
Vocês já leram algum desses livros?
Ficaram com vontade de ler?
Me conta tudo nos comentários!
Beijos ♥